Bibliografia‎ > ‎Relatórios técnicos‎ > ‎Nacionais‎ > ‎

Mapa da violência 2015: Adolescentes de 16 e 17 anos no Brasil (acidentes de transporte)

postado em 22 de jul de 2016 14:01 por Fábio de Cristo   [ 22 de jul de 2016 14:01 atualizado‎(s)‎ ]
Mapa da violência 2015: Adolescentes de 16 e 17 anos no Brasil (acidentes de transporte)
Autor: Julio Jacobo Waiselfisz (Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais – FLACSO)
Descrição: Publicado em 2016. O estudo pretende analisar a evolução da violência letal dirigira a adolescentes de 16 e 17 anos de idade, foco da atual discussão sobre a maioridade penal. A evolução dos números e das taxas nas 27 Unidades da Federação, nas 27 Capitais e nos municípios com elevados níveis de homicídios desses adolescentes. Também é estudada a incidência de fatores como o sexo, cor, idades das vítimas e instrumentos utilizados na vitimização dos adolescentes. Inclui análise sobre acidentes de transporte. O relatório mostra que o Brasil está entre os 15 primeiros países em letalidade de crianças e adolescentes em acidentes de transporte se comparado ao conjunto de outros 87 países, com base em dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). A mortalidade de motociclistas é a principal causa de morte por acidentes de transporte da faixa etária, e aumentou 1.378,8% entre 1996 e 2013, passando de 113 para 1.671 por ano. Os dados evidenciaram uma tendência crescente desde 1980 até 1997, ano em que entrou em vigor o Código Nacional de Trânsito. As taxas caíram de forma significativa nos primeiros anos até a virada do século, quando os índices se estabilizam. As mortes voltaram a crescer a partir de 2008 quando houve aumento na mortalidade de crianças com menos de 1 ano de idade, passando de 2,7 para 4 mortes em cada 100 mil crianças, um crescimento de 45,4% no período. Os níveis de mortalidade permanecem relativamente estáveis ao longo da escala etária de 1 ano de idade até aproximadamente os 13 ou 14 anos. A partir dos 16 anos, constata-se novo crescimento e, em alguns casos, bem significativo, como entre 17 e 18 anos de idade, quando o aumento supera a casa de 50%.
Comments