Especialização/ Perito Examinador de Trânsito

Especialização
 
O CFP tem instituído, desde 2000, várias resoluções que regulamentam o Título de Especialista em Psicologia, assim como as formas de obtê-lo. As resoluções foram aperfeiçoadas, sendo as mais atuais de 2007:
 
  • Resolução CFP nº 13/2007. Institui a Consolidação das Resoluções relativas ao Título Profissional de Especialista em Psicologia e dispõe sobre normas e procedimentos para seu registro
  • Resolução CFP nº 22/2007. Atualiza a taxa de administração e custeio do processo de Cadastramento de Cursos, com vistas ao Credenciamento junto ao CFP para aceitação de certificados e concessão de Título de Especialista e respectivo registro
Ao buscar um estabelecimento para cursar a sua especialização, o psicólogo deverá se informar/pesquisar sobre a situação desta instituição junto ao CFP. Isto porque, conforme as resoluções acima, para o devido reconhecimento do título, o curso deverá preencher alguns critérios, dentre eles:
 
  • Ter duração mínima de 500 horas
  • Ser credenciado pela Associação Brasileira do Ensino da Psicologia - ABEP
  • Pertencer a instituição de ensino superior legalmente reconhecida pelo Ministério da Educação ou ser pessoa jurídica
  • Possuir, pelo menos, uma turma com curso já concluído (acesse as resoluções acima para ver os outros criterios!)
A oferta de cursos de especialização em psicologia do trânsito tem aumentado quantitativamente nos últimos três anos em nosso país. A resolução CONTRAN nº 267, publicada em 2008, contribuiu bastante para isso, ao tornar a obtenção daquele título um dos requisitos obrigatórios para o psicólogo ser credenciado pelos DETRANs. Esta resolução encontra-se revogada com a publicação da resolução CONTRAN n° 425, atualmente em vigor.
 
Simultaneamente, além de contribuir para formar psicólogos para atuar no contexto da habilitação de condutores, as especializações estão colaborando para ampliar a compreensão de muitos (futuros) psicólogos sobre a psicologia do trânsito.
 
A partir das diversas disciplinas ofertadas nestes cursos, evidencia-se que a área não se restringe à avaliação psicológica de motorista - enquanto atividade de trabalho - ou às clínicas credenciadas - enquanto contextos de atuação.
 
O papel das especializações tem sido, portanto, instrumentalizar o profissional com ferramentas teóricas e técnicas - seja da própria psicologia ou áreas afins -, capacitando-o minimamente para trabalhar nos diversos setores do trânsito e transporte, atendendo às necessidades de segurança e qualidade de vida das pessoas em seus deslocamentos.
 

As especializações, desta forma, estão possibilitando a construção das bases para a ampliação do campo de trabalho do psicólogo do trânsito e para o desenvolvimento de práticas inovadoras.

Capacitação

O curso de capacitação para psicólogo perito examinador de trânsito é um dos requisitos obrigatórios para que o profissional seja credenciado junto aos Departamentos de Trânsito (DETRANs) em nosso país.

A carga horária mínima desses cursos é de 180hs. Deverão ser ministrados por instituições de ensino superior de psicologia, reconhecidas pelo Ministério da Educação. O conteúdo programático deverá ser multidisciplinar, dentro das seguintes áreas de estudo:
 
  • Psicologia do trânsito e prevenção de acidentes
  • Metodologia da pesquisa aplicada à psicologia de trânsito
  • Inter-relação da psicologia do trânsito com: legislação do trânsito, psicologia social, engenharia do trânsito, saúde pública, educação e cidadania no trânsito, ética Profissional
  • Peritagem e elaboração de documentos
  • Normas e procedimentos da avaliação psicológica
  • Ensaio monográfico
Importante:
 
  • A partir de 15 de fevereiro de 2015 serão credenciados somente psicólogos com o título de especialista em psicologia do trânsito reconhecido pelo CFP
  • Será assegurado o direito ao credenciamento ou de continuar a exercer a função de perito examinador àquele psicólogo que tenha concluído e sido aprovado no curso de capacitação (180hs/aula) até 14 de fevereiro de 2015

Fique por dentro:

  • Resolução do Conselho Nacional de Trânsito, CONTRAN nº 425/2012, dispõe sobre a avaliação psicológica e o credenciamento dos psicólogos. O anexo XVII trata especialmente dos cursos de capacitação
  • Resolução do Conselho Federal de Psicologia, CFP nº 007/2009, institui normas e procedimentos para a avaliação psicológica no contexto do trânsito
Subpáginas (2): Instituições Turmas abertas